22deAbril

No ano passado, quando andava na Oficina de Teatro, alguns queriam fazer um musical. Mas havia muita pouca gente que sabia dançar ou cantar. Por isso fizemos um teatro "normal", digamos.

Eu eu um amigo meu (um velho amigo) gostamos ambos teatro. Pela paixão de estar em cima do palco, representar os nossos papéis, e de estar um grupo que gosta tanto de teatro como nós. Durante as aulas, cantamos, dançamos e fazemos muitas vezes duetos, até agora ninguém se incomodou.

Propôs-lhe um dia que ele fosse cantar a um casting, mas a teimosia dele não deixou que convencesse. Nestes dias ensinei-lhe a respiração e a prolongação da nota, e acho que até o ajudei. E assim já teve alguma esperança de ir.

Também tentou convencer-me para eu ir dançar, mas estava fora de questão. Embora que quisesse muito entrar num musical. Estava previsto que era hoje o tal casting. Mas eu disse que não ia, e assim ele não foi. Até que na última hora não tivemos aula e aproveitamos ir lá ao sítio onde costumam ensaiar para o musical.

Acho que para nós aquilo foi completamente diferente no que imaginávamos, era muito melhor. A amizade entre as pessoas é bastante forte, e estão lá pelo mesmo motivo e isso admirou-nos imenso.

Ele foi cantar, e gostaram muito, adoraram aliás. E fiquei mesmo contente por ele, foi um sonho realizado.

A seguir fui eu, queriam que eu cantasse, mas eu disse que não sentia preparada e iria só dançar . Não estava à espera que fosse hoje, nem tinha preparado a dança. Fui dançar o classical dance do sétimo grau do ballet, sem música, e eu estava de botas...Uma autêntica maravilha. Achei piada ao facto de parecer que estava nos ídolos, o juiz comportou-se como tal e ponha a mão no ar para parar e comentava com ar sério. No meio da dança levantou a mão, e disse que sentiu-se poderoso quando viu a minha dança. E consegui entrar no musical. E neste momento, acho que ainda não acredito nessa ideia.

Imagina-se agora o meu tempo, já ando tão ocupada. Se isto sempre foi o meu sonho não vou desperdiçar, e este dia nunca vou esquecer.

Saímos de lá com pulos de alegria.

Vale a pena experimentar e concretizar os nossos sonhos, não acham?

publicado por Ynnêz às 20:23 | comentar