Poema do meu avô "virtual"

O meu "avô" virtual fez-me um poema, entregou-me um papel durante um ensaio do coro. Fiquei tão maravilhada. As palavras são tão belas! Fico feliz por conhecer alguém tão simpático.

Estou muito grata pelo poema avô!

 

Para a Inês, minha "neta" virtual, com muito carinho e amizade

Como não há duas sem três, agora, calha à Inês:

 

Um poema...dois poemas

E este é o número três

Porque da ida aos Açores

entre todas as flores

Destaca-se a linda Inês...

 

Minha "neta" virtual

Gosto dela afinal

Pela sua forma de ser,

Sempre comedida e calma,

Revela ter grande alma

E muito bom-senso têr

 

Seu riso, tem tal doçura

E sua expressão é tão pura

Que a qualquer pessoa encanta

E isso se revela então

Quando a voz do coração

Lhe sai doce da garganta

 

O pior, foi a canela

Que a quis meter em assados,

Mas a culpa, não foi dela

E isso, são tempos passados

E no final, terminados

Quando saiu do Faial...

 

Joaquim Vale Cruz

publicado por Ynnêz às 20:02 | comentar